Ataque ao islam ou Islão a nu – Para tomar consciência do terror islâmico e o atacar

A tentativa do Islão se apresentar com uma NOVA CARA

Posted by ombl em Abril 19, 2010

A tentativa do Islã se apresentar com uma NOVA CARA

Os muçulmanos ao redor do mundo estão envolvidos em uma campanha para MUDAR a IMAGEM do Islã no mundo. Eles estão fazendo grandes esforços  para re-introduzir um novo Islã, com uma cara nova, um Islã que não apóia violência mas chama os povos para a PAZ. Eles querem convencer-nos que todos estes doidos terroristas na verdade não sabem nada do Islamismo e eles são os que estão manchando a verdadeira fé Islâmica que essencialmente prega a paz e a convivência pacifica entre os povos.
Nada mais ilusório este discurso.
Muitas pessoas ficam confusas quando aprendem sobre os verdadeiros ensinos e praticas do Islã. Para muitos o Islamismo parece ser uma religião cheia de contradições. O que um muçulmano acredita ou diz que acredita pode ser completamente diferente daquilo que outro muçulmano diz que acredita, mesmo se eles freqüentam a mesma mesquita e seguem a mesma ramificação do Islã. O que torna o Islã mais confuso ainda, é que um muçulmano pode afirmar algo em publico um dia e dizer algo completamente oposto no dia seguinte para um outro publico. Por isso o Islã é uma religião difícil de entender.
As duas FACES do Islã
A MAIORIA dos muçulmanos não conhecem as doutrinas do Islã. As doutrinas são confusas, e o Islã desencoraja o “pergunta e inquerir” sobre a FE. No Islã, Allah e Mohamed e os profetas NÃO podem ser questionados. O muçulmano é levado a pensar que se ele tentar entender o Islã é como tentar fixar gelatina na parede com um prego. Eles então se acomodam e deixam os assuntos teológicos somente para os “ESPECIALISTAS”, os Xeiques, os Imans ou Mullahs que lhes dizem o que fazer, como fazer e quando fazer.
Pensar e Raciocinar é perigoso no Islã.
Na Sura 5:101-102 encontramos a seguinte ADVERTENCIA da parte de Allah: “Ó fiéis, não interrogueis acerca de coisas que, se vos fossem reveladas, atribular-vos-iam. Mas se perguntardes por elas, quando o Alcorão tiver sido revelado, ser-vos-ão explicadas. Deus perdoa a vossa sofreguidão, porque é Tolerante, Indulgentíssimo. Povos anteriores a vós fizeram as mesmas perguntas. Por isso, tornaram-se incrédulos”.
Pare e leia de novo … Allah não encoraja certas perguntas, porque se as respostas forem dadas, ira atribular os ouvintes. As perguntas deveriam ser feitas DEPOIS do Alcorão ter sido revelado e MOHAMED as explicaria. Então Allah diz que “Povos anteriores a vós fizeram as mesmas perguntas. Por isso, tornaram-se incrédulos”… ou seja, fazer perguntas pode leva-lo a incredulidade.
O Alcorão foi “revelado” como forma de PERGUNTA e RESPOSTA. O povo perguntava e Allah depois respondia. Basta ler o Alcorão e você vera este padrão. Um pequeno exemplo disto esta na Sura 17:85 “Perguntar-te-ão sobre o Espírito. Responde-lhes: O Espírito está sob o comando do meu Senhor, e só vos tem sido concedida uma ínfima parte do saber”.
Neste verso em particular, Mohamed não sabia muito sobre o Espírito Santo, então sua resposta foi evasiva e bem ralé: ,O Espírito… só vos tem sido concedida (SABER) uma ínfima parte…”? Porque então temos na Bíblia uma ENORME e RICA fonte de conhecimento sobre o Espírito Santo?
Por isso o muçulmano não é encorajado a fazer perguntas sobre o Alcorão ou sobre o comportamento de Mohamed. Logicamente eles irão abandonar o Islã quando eles tiverem uma mente mais inquisitiva.
Um amigo meu (ex-muçulmano) me contou que um dia ele ouviu uma palestra de um Xeique na mesquita onde ele normalmente orava. O Xeique falava sobre Jesus (Issa) e relatava tudo o que o Alcorão fala sobre ele. Este meu amigo ficou tão empolgado que ele exclamou: “Se Issa é tudo isso o que você falou, então nos estamos seguindo o profeta errado”. Esta foi a conclusão lógica de um garoto. O tempo fechou na mesquita e os olhares de ódio e reprovação caíram sobre o pobre rapaz. Ele quase apanhou dentro da Mesquita. Mais tarde ele foi procurar mais informação sobre o “Jesus da Bíblia” e achou. Hoje ele é um “servo de Jesus” e trabalha arduamente para trazer outros muçulmanos para o verdadeiro Deus.
O Islamismo não é uma religião para se PENSAR e REFLETIR e sim uma religião de PRATICA. Os Xeiques ensinam que o que Allah revelou esta revelado, Allah sabe melhor do que qualquer ser humano. Somente Mohamed estava autorizado a interpretar o Alcorão, todos os outros liders Islamicos que o seguiram deveriam entender o Alcorão a luz das explicações do próprio Mohamed, pois esta escrito na Sura 33:38 “Não é dado ao fiel, nem à fiel, agir conforme seu arbítrio, quando Deus e Seu Mensageiro é que decidem o assunto. Sabei que quem desobedecer a Deus e ao Seu Mensageiro desviar-se á evidentemente”.
Tudo já foi foi decidido por Allah e Mohamed. O muçulmano não deve fazer perguntas sobre o que Allah e Mohamed já decidiram, eles não querem ser desobedientes, então eles confiam que os Xeiques estarão lhes dando a melhor orientação possível. Um Xeique muitas vezes contradiz o outro. Porque isso acontece?
Existem duas doutrinas no Islã que nos ajudarão a entender o porque ha tantas discrepâncias e diferenças naquilo que os muçulmanos dizem ou crêem. Ao chegarmos a entender estas duas doutrinas ira resolver o enigma das aparentes contradições dentro do Islã. Depois falaremos sobre a doutrina da “taqiyya” e a doutrina da “ab-rogação”, mas primeiro veremos o que o Islamismo ensina sobre “falar a verdade e mentir”.
Falando a verdade sobre a mentira no Islã.
Um dos 99 nomes de Allah, é “al-Haqq” que literalmente significa “a realidade, a verdade suprema”. O conceito de verdade é importante no Islã e a palavra aparece centenas de vezes no Alcorão e nas Hadiths (tradições da vida e dizeres de Mohamed).
Como no Cristianismo, o Islã rejeita o relativismo e crê que seus ensinos são a verdade absoluta.
O Alcorão em Árabe é considerado pelos muçulmanos a PURA PALAVRA de Allah, e a exata copia dos tabletes que estão guardados nos céus. Mohamed é considerado o profeta final e infalível. O anjo Gabriel revelou gradativamente o Alcorão para Mohamed a quem os muçulmanos acreditam que ele é o modelo supremo de vida para a humanidade. Mohamed deve ser imitado em todos os detalhes da vida.
Sura 33:23 e 26 “Realmente, tendes no Mensageiro de Deus um excelente exemplo… Deus recompensa os verazes, por sua veracidade, e castiga os hipócritas como Lhe apraz; ou então os absolve, porque Deus é Indulgente, Misericordiosíssimo”.
Falar a verdade é recomendável mas MENTIR também (A dupla face do Islã)
Na Sura 40:28 encontramos a seguinte repreensão de Allah: “Em verdade, Deus não encaminha ninguém é transgressor, mentiroso”.
Porem, apesar de claramente advertir contra a mentira, outra doutrina foi desenvolvida no seio do Islã que PERMITE AO MUÇULMANO MENTIR em certas situações ou circunstancias.
A doutrina da TAQIYYA
A palavra “Taqiyya” significa dissimulação em árabe. Em outras palavras a doutrina Taqiyya ensina que o muçulmano pode dissimular a sua fé, usar um disfarce, aparentar o que não é ou camuflar as suas crenças em determinadas situações para alcançar determinados objetivos.
Esta doutrina foi desenvolvida primariamente em situações de perseguição religiosa. Um muçulmano estaria permitido a dissimular a sua verdadeira fé para poder salvar a sua vida. De onde os muçulmanos tiraram tal idéia? Logicamente DO PROPRIO ALCORÃO. A historia de Arão e o bezerro de ouro prove a base desta ideologia.
Sura 7:150-151 “Quando Moisés voltou ao seu povo, … Arrojou as tábuas e, puxando pelo cabelo seu irmão (Arão), arrastou-o até si, e Aarão disse: Ó filho de minha mãe, o povo me julgou débil e por pouco não me matou”.
Arão ficou com MEDO de que o povo o MATARIA se ele não adorasse o bezerro de ouro. Como os muçulmanos acreditam que Arão era um profeta, então ele não poderia ser acusado de covardia. Eles então encontraram no Alcorão a justificativa para FINGIR, DISSIMULAR e CAMUFLAR o que eles realmente acreditam para salvar a “pele”. O que mais impressiona foi que Allah se CONTRADIZ quando perdoou Arão por ter ADORADO (Shirk) uma imagem, apesar de Allah mesmo ter declarado que Sura 4:48 e116 “Deus jamais perdoará a quem Lhe atribuir parceiros…” (Calma la, se idolatria é imperdoável, porque Allah perdoou Arão?)
Mas a “arte de mentir para salvar a pele” se estendeu a outras áreas como, salvar a honra, ou propriedades. A arte de dissimular era somente para emergências, mas se tornou a norma, como Hamid Enayat, um historiador muçulmano que trabalha na Universidade de Oxford disse: [Taqiyya] “na pratica se tornou a norma do comportamento publico entre todos os muçulmanos – seja ele Sunnita ou Shiita – sempre que ha um conflito entre a fé e a conveniência”.
Foram os Shiitas que desenvolveram a doutrina da Taqiyya. Por serem a minoria entre uma maioria Sunnita, eles sofreram tremendas perseguições, por causa das grandes diferenças entre as duas correntes do Islã. Então os Shiitas começaram a FINGIR que eram Sunnitas (assim como Arão fingiu que adorou o bezerro de ouro) enquanto que secretamente eles mantêm a fé Shiita. Taqiyya também é praticada por Sunnitas.
Encontramos no Alcorão outra justificativa para a dissimulação (exercício da Taqiyya)
Sura 16:106 Aquele que renegar Deus, depois de ter crido – salvo quem houver sido obrigado a isso e cujo coração se mantenha firme na fé – e aquele que abre seu coração à incredulidade, esses serão abominados por Deus e sofrerão um severo castigo”.
Os muçulmanos são absolvidos da ira de Allah se eles forem FORÇADOS a fingir que são INCREDULOS por fora mas por dentro eles são VERDADEIROS Muçulmanos.
Outro verso que da base para dissimular para salvar a vida, a honra ou propriedades é a Sura 2:195 “Fazei dispêndios pela causa de Deus, sem permitir que as vossas mão contribuam para vossa destruição, e praticai o bem, porque Deus aprecia os benfeitores”.
Os eruditos muçulmanos interpretam este verso como um DEVER a todo muçulmano EVITAR a destruição ou perigo e de salvar a sua vida, honra ou propriedade de qualquer meio possível.
O fato do Alcorão proibir o muçulmano a ser AMIGO do não muçulmano, também é usado para apoiar a arte de dissimular (Taqiyya). O verso claramente traz a palavra “SALVO SE” ou “EXCETO” por PREVENÇÃO ou PROTEÇÃO.
Veja na Sura 3:28 “Que os fiéis não tomem por confidentes os incrédulos, em detrimento de outros fiéis. Aqueles que assim procedem, de maneira alguma terão o auxílio de Deus, salvo se for para vos precaverdes e vos resguardardes. Deus vos exorta a d’Ele vos lembrardes, porque para Ele será o retorno”.
Aparte destes versos do Alcorão autorizando o uso de DISSIMULAÇÃO, ainda encontramos uma infinidade de tradições dando detalhes quando o USO DE MENTIRAS esta permitido. Por exemplo:
Narrado por Asma filha de Yazid: “O Mensageiro de Allah disse: A MENTIRA é PERMITIDA somente em TRES casos: Mentiras faladas por um homem com a intenção de agradar a sua esposa, mentira na guerra e mentira para acertar as coisas entre as pessoas” Al-Tirmidhi Number 5033
Porem, mentiras contra Allah e Mohamed não são toleradas. Sura 6:93 “Haverá alguém mais iníquo do que quem forja mentiras acerca de Deus, ou do que quem diz: Sou inspirado!, quando nada lhe foi inspirado?” Interessante que Mohamed tenha mencionado isso no Alcorão. Ele inventou mentiras sobre Allah, pois não sendo profeta ele se fez passar por um profeta, falou em nome de Deus quando Deus não lhe falou nada. Mohamed AUTORIZOU o uso de MENTIRA para assassinar alguns dos seus oponentes. O crime de “Kab bin Al-Ashraf” foi ter feito uma poesia ridicularizando Mohamed. Encontre a historia em Bukhari 5.369
Ainda HOJE o uso de MENTIRAS esta autorizado e os teólogos muçulmanos concordam com isso. Um dos  teólogos mais respeitados no Islã, o Imam Abu Hammid Ghazali claramente ensina que os meios justificam os fins. Ele disse: (Ahmad ibn Naqib al-Misri, The Reliance of the Traveller pagina 745)
A fala é somente um meio de se alcançar  os objetivos. Se o objetivo louvável é alcançado por meio de falar a verdade e mentir, então é ilegal alcança-lo através de mentira, porque não há necessidade para isso. Quando o objetivo somente é possível alcançar por meio da mentira e não dizendo a verdade, então é  admissível usar a mentira para se atingir o objetivo.
Reconhecendo a Taqiyya: A Arte de dissimular.
Uma vez que as pessoas reconheçam que o muçulmano tem esta dupla faceta, e percebam que o MAIS SINCERO e MAIS DEVOTO muçulmano poderia estar simplesmente praticando a arte de DISSIMULAR (Taqiyya), então muitas das contradições seriam explicadas.
A Taqiyya ou DISSIMULAÇÃO é usada frequentemente para DEFENDER o ISLÃ contra as acusações que normalmente se levantam contra o Islã. O muçulmano esta autorizado por Allah e seu profeta para MENTIR para proteger a sua religião. Pode haver algo mais maligno?
Eu presenciei uma cena bizarra: Alguns anos atrás quando visitava um certo pais da África, alguns muçulmanos missionários (DAWA) convidaram a mim e a uns dos meus amigos para tomar um chá com eles. Aceitamos o convite e fomos. O que estes muçulmanos NÃO sabiam, era que um dos convidados na verdade era um “ex-muçulmano” convertido a Cristo Jesus. Durante a conversa, eu perguntei a eles se eles poderiam ter certeza de que um dia eles chegariam ao paraíso islâmico. Então eles começaram a discutir entre eles na língua local. Como meu amigo Cristão estava presente, ele depois nos traduziu a conversa que se passou assim: “Vamos dizer que sim! Assim fica mais fácil ele aceitar o Islã”. O outro disse: “Vamos dizer que não! Ele precisa saber agora.” Da para ver o quanto a mentira faz parte da propagação do Islã?
Neste vídeo você vera o líder religioso Egípcio Mahmoud Al-Masri

recomendando o uso de MENTIRAS para enganar os Judeus a se converterem ao Islã. A transcrição do vídeo esta aqui.
Por esta razão você encontrara alguns lideres muçulmanos condenar ataques terroristas na frente de um publico Cristão e o mesmo líder louvando o ataque terrorista para um publico Islâmico.
Por exemplo: O Xeique Hamid Ali, Imam da Mesquita de Al-Madina em Beeston, na Inglaterra, condenou publicamente os ataques suicidas de Londres em 7 de Julho de 2005, POREM foi secretamente gravado por um repórter  disfarçado do SUNDAY TIMES onde ele disse :“um ato bom” e louvou os terroristas.
Vale tudo no Islã (OS MEIOS REALMENTE JUSTIFICAM OS FINS)
De uma olhada nas traduções do Alcorão. Eu tenho varias traduções em Inglês e Português. As traduções são desenhadas e manufaturadas para “agradar” aos ouvidos e para “tirar qualquer medo sobre o Islã”.  Nestas traduções os versos agressivos de guerra são geralmente suavizados e abrandados enquanto que outras traduções vindas do Paquistão, Indonésia e Arábia Saudita estão mais próximas do significado original do árabe. Mentir para converter alguém é então uma MENTIRA LOUVAVEL no Islã.
Em uma outra viagem pelo mundo Islâmico encontrei um brasileiro por ali. Ele já de cara demonstrou que estava mais doutrinado pela Rede Globo do que pelos livros escolares. Talvez ele  pensou que eu era muçulmano e disse: “O Alcorão é um livro lindo, não é?” Eu engoli seco, mas não queria ser cortez e falso ao mesmo tempo. Eu lhe perguntei se ele já havia lido o Alcorão, e a resposta foi surpreendente: “Não, mas eu OUVI DIZER que é um livro muito bonito”.  Este é o nível cultural de muitos brasileiros. Em uma breve conversa, pude expor a feiúra do Alcorão bem como a ignorância daquele compatriota. Afinal de contas, ninguém nasce sabendo, mas é nossa obrigação de querer aprender um pouco mais.

A ignorância do povo esta aliada a propaganda Islâmica. Em outras palavras, os muçulmanos usam a nossa ignorância para o avanço do Islã.
Quantos de vocês já ouviram alguem dizer que foi a CIVILIZAÇÃO ISLÁMICA que alcançou um grau de conhecimento superior ao da Europa? Que foram eles que inventaram a matemática e que eles criaram o primeiro hospital do mundo?
Bem vindos então a “Islamização do conhecimento”
Um grupo de muçulmanos deram inicio a um processo que eles chamam de “islamização do conhecimento”.  Eles querem elevar o lugar do Islã dentro de cada disciplina acadêmica e LIGAR o Islã e suas doutrinas, a todas as artes e ciências.
Estes grupo, esta investindo pesado na REVISÃO de livros ocidentais e RE-ESCREVENDO livros científicos e históricos para introduzir o que eles chamam de HERANÇA ISLAMICA e disseminar o “CONHECIMENTO ISLAMICO” entre estudantes, professores, acadêmicos e intelectuais.
Eles também começaram um MACIÇO PROGRAMA de publicação, introduzindo novas informações sobre o islã e o estabelecimento de Universidades Islâmicas e Centros de Pesquisas ao redor do mundo. A Biblioteca de Alexandria que se diz ser “um favor para a Iluminação e um farol para a liberdade de expressão”, na verdade serve SOMENTE para DISSEMINAR O ISLÃ. Eu estive la e comprovei por mim mesmo. A Islamização do conhecimento adotou como método, um programa maciço de novas publicação com conteúdo revisado e o estabelecimento de universidades islâmicas e instituições de pesquisa.
Exageros e falsas informações
Neste processo de “Islamização do conhecimento” os muçulmanos introduziram informações FALSAS e EXAGERADAS para fazer o Islã parecer uma religião altamente intelectual, porem os negativos aspectos dos ensinos e da historia do Islã foram convenientemente deixados de fora.
Um dos grandes exageros é que o Islã deve receber o crédito pelo que ha de melhor na Europa, pois o Islã foi a fonte original de onde os Europeus aprenderam e derivaram os seus descobrimentos.
Os muçulmanos chegam a exageros ridículos como o de dizer que Napoleão Bonaparte se converteu ao Islã, que os exploradores Islâmicos alcançaram as Américas antes que Cristóvão Colombo, que o Islã chegou na Austrália no século 9 e que Offa o rei Anglo Saxão de Mercia em (757-796 DC) era Muçulmano etc.
Outras mentiras e exageros já estão circulando ha muito tempo e elas são tidas como verdadeiras sem que se tenha feito uma pesquisa apropriada para confirmar os fatos. Algumas delas são:
A MENTIRA de que havia HARMONIA na Espanha Islâmica – O MITO da Andaluzia
Historicamente é fácil de provar o contrario. Os muçulmanos dominaram a região de 711 a 1492 DC. Em 1066, os Judeus foram massacrados por muçulmanos em Granada. Entre 4 a 5 mil Judeus morreram pelas mãos dos pacíficos muçulmanos da Andaluzia. A primeira cruzada foi uma reação ao avanço Islâmico e aconteceu em 1096 e a ultima cruzada em 1270. Durante 174 anos, Muçulmanos e Cristãos lutaram nas cruzadas. Como era possível haver paz e harmonia na Andaluzia bem no meio das cruzadas?
A origem do Mito de Andaluzia se encontra nos romance escrito por Sir Walter Scott no século 19. Certos autores que ainda persistem em propagar o mito da harmonia e coexistência na Andaluzia, convenientemente preferem não tomar em conta as palavras de Moises Maimônides que nasceu em 1135 em Córdoba: “… os árabes nos perseguem severamente, e aprovam leis prejudiciais e discriminatórias contra nós … Nunca uma nação nos molestou, degradou, humilhou e nos odeiou tanto como eles …
Somente para terminar quero ainda mencionar que os registros de um jurista muçulmano chamado Ibn Abdun (1134), para confirmam que a tolerância da Espanha Islâmica é um mito. No seu parecer sobre o tratamento dos judeus e cristãos de Sevilha, Ibn Abdun insistiu em que “Não… os Judeu ou Cristão não podem ser autorizados a usarem roupas de aristocrata, nem de jurista, nem de pessoa rica, PELO CONTRARIO, eles devem ser detestados e evitados. Ésta proibido se dirigir a eles com a saudação: “A paz esteja convosco” … Em fato, «Satanás se apossou deles, e os fez esquecer dos avisos de Deus. Eles são companheiros do caminho de Satanás; os companheiros de Satanás certamente serão os perdedores! (Alcorão 58:19). Uma MARCA distinta deve ser imposta sobre eles a fim de que eles podem ser reconhecidos e isso será para eles uma forma de vergonha.
A coisa era tão ruim que Moises Maimonides teve que fugir de Córdoba por causa da perseguição. Ademais eu pergunto, se Andaluzia era um paraíso onde Judeus, Cristãos e Muçulmanos coexistiam pacificamente, por que então eles expulsaram os árabes depois de 700 anos de domínio pacifico?
A verdade era que durante um curto espaço de tempo, os Judeus e Cristãos foram tolerados, enquanto eles se submetiam a varias regras humilhantes. Durante a maioria do tempo eles foram severamente perseguidos, mortos, expulsos e forcados a se converterem ao Islã. Parem de MENTIR para nos muçulmanos.
A MENTIRA de que o Islã liderou vários campos da ciência e da medicina na Idade Media.
Você também deve ter ouvido esta palhaçada.
Sim é verdade que o Emperio Abassida a partir do ano 750 promoveu os estudos e o conhecimento no mundo Islâmico. Os muçulmanos começaram a estudar um pouco mais. Como havia pouquíssimos trabalhos escritos em Árabe e por sua vez os muçulmanos estavam controlando uma grande parte da Ásia, Norte da África e Espanha, eles decidiram TRADUZIR tudo para o Árabe. Os Gregos e Romanos fizeram o mesmo com a construção da Biblioteca de Alexandria e nem por isso são considerados “religião divina”.
Embora grande parte da literatura daquele tempo foi traduzido e estavam disponíveis em árabe, porem muitos dos autores eram Gregos, Persas, Indianos, Cristãos e Judeus. Este fato não é geralmente aparente porque estes Judeus e Cristãos tinham nomes Islamizados ou por causa da perseguição ou por alguma outra razão se tornaram muçulmanos.
O PRIMEIRO LIVRO de MEDICINA em árabe foi escrito por um sacerdote Cristão e traduzido para o árabe por um médico Judeu em 683 DC. Além disso, o trabalho dos eruditos muçulmanos, não foi nada alem de traduzir a obra dos sábios Gregos, com pouquíssimas adições. Os muçulmanos eram os “chineses” da época. Eles pegavam uma idéia e “falsificava” logo em seguida.
Mohamed cometeu ROUBO LITERARIO ao plagiar vários trabalhos durante o seu tempo e introduzi-los no Alcorão. Muitas das fabulas e historias do Alcorão foi tiradas do Talmud.
Os muçulmanos dizem que Mohamed foi quem descreveu os estágios embrionários do feto, porem o processo já teria sido descrito 400 anos ANTES de Mohamed por um medico GREGO chamado Galeno que viveu entre 129 a 200 DC. Os seus trabalhos sobreviveram através de um SACERDOTE CRISTÃO chamado Sergius Reshaina, que estudou medicina em Alexandria e trabalhou na Mesopotâmia e que morreu no ANO 536 DC.
As traduções para o árabe foram feitas para as áreas de medicina, filosofia, matemática, astronomia, zoologia, química, geografia e tecnologia. Quase nada foi mudado do trabalho original. O professor Manfred Ullman da Universidade de Tübingen disse que com “a passagem da barreira lingüística, o conteúdo foi deixado praticamente inalterado”.
Como já vimos em outro artigo anterior, Mohamed acreditava que existiam SETE TERRAS e que estas TERRAS eram PLANAS. Na verdade, o islamismo medieval passou por um processo de absorverão do conhecimento de outras culturas, e RENOMEAR tudo em árabe e depois de clamar que o Islã foi o responsável por tudo aquilo. Hoje isto tem nome: PLAGIO.
A MENTIRA de que o Islã fundou o primeiro HOSPITAL
Sim o primeiro hospital foi fundado em Bagdá quando a cidade estava debaixo do domínio Islâmico, POREM quem fundou o hospital não foi um MUCULMANO e sim UM CRISTAO SIRIO chamado Jabrail ibn Bakhtishu (Jibril). A idéia partiu dele e o modelo foi copiado da escola onde ele mesmo tinha estudado e o próprio Jabrail foi diretor do primeiro hospital. (veja a historia por trás da construção do primeiro hospital)
A MENTIRA de que os Árabes inventaram os NUMEROS e o conceito do ZERO na Matemática.
Sim, é verdade que os números que usamos na maior parte do mundo hoje, chegou ATRAVES dos Árabes, mas dizer que eles foram os inventores é um grande exagero e mentira. Os números na verdade vieram do Alfabeto Assírio (Siriaco). Os Assírios se tornaram Cristãos por volta do ano 1 a 3 DC porem com a conquista Islâmica a maioria foi forcada a se converter ao Islã, outros foram expulsos ou mortos. Os números usados pelos árabes hoje foram introduzidos  por um MATEMATICO SIRIO trazidos da INDIA no século 7, ou seja, não os Árabes mas sim dos Indianos e Assírios estavam a frente na invenção e uso dos números. Os árabes popularizaram o uso dos números mas não os inventaram.
A idéia de usar um SIMBOLO para NADA ou ZERO também foi trazido da Índia. Leia aqui a historia do ZERO. Mesmo os conhecimentos astronômicos foram copiados dos Hindus e batizados com nomes Árabes.
A MENTIRA de que os Árabes inventaram um NOVO tipo de ARQUITETURA.
Basta você passear pela Etiópia, Egito e Oriente Médio e você vera que os Árabes COPIARAM a arquitetura das igrejas Cristãs. As Igrejas na Etiópia tem domos e arcos parecidos ao das mesquitas. Se você não prestar atenção você pensara que a Igreja é uma mesquita, a diferença será a CRUZ e a LUA na ponta das torres. Ate os minaretes foram copiados das Igrejas. Nos minaretes haviam sinos enquanto que Mohamed preferiu usar “a chamada da oração” usando uma pessoa dizendo “venha para a oração, venha para o sucesso”.
Se você visitar Jerusalém um dia, você vera que o DOMO da ROCHA que a principio era uma Igreja Bizantina (Cristã) mas que foi convertida em uma mesquita. Se você visitar Istambul vera a Hagia Sophia que foi um marco da arquitetura Bizantina, mas foi convertida em uma Mesquita e agora é um museu. Os domos foram copiados dasigrejas cristãs.
O domo também não foi uma invenção Crista. A primeira construção com o domo é o Panteão em Roma, construído quase 500 anos antes do Islã chegar. A segunda maior construção com um domo foi a Igreja de Hagia Sophia (Santa Sabedoria) terminada em 537 DC.

A MENTIRA de que o Islã se espalhou PACIFICAMENTE
Esta é uma das maiores MENTIRAS que os muçulmanos tentam passar como verdade. O Islã foi IMPOSTO garganta abaixo onde quer que eles chegassem. A maioria das pessoas se converteram por MEDO de morrer (converte ou morre). Uma grande parte se converteu por razoes econômicas, eles não tinham dinheiro para pagar o IMPOSTO de proteção (Jizya). Um grande numero se converteu por razoes SOCIAIS -ser muçulmano daria privilégios de cidadão de primeira classe enquanto ser Cristão você pagaria pesados impostos, seria cidadão de segunda categoria ou perderia a vida. Alguns poucos que tiveram o dinheiro para pagar os pesados impostos, NÃO RENEGARAM a sua fé e se mantiveram firmes em Cristo durante todos estes 1400 anos de perseguição e dominação Islâmica no Egito, Síria, Jordânia, Iran e Iraque. Basta você visitar o Egito e ouvir as historias da própria boca dos Egípcios Cristãos.
A MENTIRA de que no Islã a MULHER tem o mesmo valor que o HOMEM.
O Islã no Brasil não é o mesmo Islã praticado em paises Islâmicos. O que vemos aqui é o Islã enfeitado e pintado para agradar ao gosto do Brasileiro.
A nossa definição de IGUALDADE no Brasil, não é a mesma definição usada em paises muçulmanos. De acordo com a Lei Islâmica (Sharia) a mulher (somente pelo fato de ser mulher) receberia uma herança muito menor do pai ou do marido. Enquanto que pelas leis brasileiras, as mulheres tem muito mais chance de receber uma herança justa, que não esta baseada no sexo e sim na posição dela na família.
Uma mulher recebera uma compensação MUITO MENO caso ela seja ferida em um acidente por um homem. A Lei Islâmica estipula que se um homem é morto acidentalmente, a família devera pagar 100 camelos de recompensa, mas se uma mulher morre neste mesmo acidente, a famila somente paga 50 camelos.
No caso da mulher ter sido testemunha de um crime, o valor do seu testemunho no tribunal será a METADE do valor do testemunho de um homem, ou seja, você precisa DUAS MULHERES para equiparar com o testemunho de um homem.
As regras para DIVORCIO também trabalham CONTRA a mulher. A mulher NUNCA pode pedir divorcio, este é um privilegio dado somente ao marido. Existem muçulmanas feministas tentando mudar isso. Na maioria dos paises Islâmicos as mulheres são tratadas como objetos e cidadãs de segunda classe. Na Arábia Saudita a mulher não pode dirigir um carro. A maioria das mulheres nos paises Islâmicos, não tem direito a educação e tem seus direitos violados.
A MENTIRA de que as CRUZADAS foram ataques sem provocação ao Islã
Somente um ignorante em Historia não seria capaz de ver que as Cruzadas (apesar de terem sido mal planejadas e mal executadas) não foram um ataque sem provocações aos Muçulmanos que estavam pacificamente conquistando os paises ao redor do mundo e impondo o Islã.
As Cruzadas foram uma INFELIZ REAÇÃO TARDIA aos ataques Islâmicos que começaram no século 7 e 8 contra os paises Cristãos. Muitos dos motivos estavam errados para a Cruzada, mas eu acho que elas eram inevitáveis. O Egito foi o primeiro pais a cair nas garras dos muçulmanos, depois vieram outros como Jerusalém (Israel), Síria, o Norte da África e a Espanha.
Com a invasão Islâmica e perda da cidade SANTA de Jerusalém e outras cidades consideradas “SANTAS” no Cristianismo, a moral dos Cristãos esta baixa, mas nenhuma ação foi tomada durante aquela época. As Cruzadas foram uma RESPOSTA ao constante ataques dos Muçulmanos contra os Cristãos do Império Bizantino. Dois Imperadores Bizantinos pediram ajuda ao Papa (1074 a 1095) e FINALMENTE depois de 300 anos de violência contra os Cristãos foi que a primeira Cruzada foi organizada para SALVAR nossos irmãos Cristãos no Oriente Médio.
Infelizmente as cruzadas foram mal planejadas e eles acabaram sendo derrotados por SALADIN. Foi ele mesmo quem DESTRUIU varias pirâmides no Egito para construir a CIDADELA, e varias mesquitas em Cairo. Se você visitar o Egito, vera que a pirâmide do MEIO tem uma camada extra de pedra nas pontas, mas TODAS as outras esta camada esta faltando. Foram destas pirâmides e outras que Saladin retirou as pedras e saqueou os tesouros para construir outras fortificações em Cairo. Mas por alguma razão, os guias muçulmanos não irão te falar que Saladin destruiu vários monumentos da humanidade para salvar o Islã.
A MENTIRA de que a PALAVRA ISLÃ significa PAZ.
Este é um outro esforço dos muçulmanos tentarem mudar a imagem cruel do Islã por uma imagem simpática e pacifica. Esta é outra maneira de ENGANAR a população brasileira (que não sabe nada da língua árabe) é dizer que a religião Islâmica não tem nada a ver com violência ou guerra e que a própria palavra ISLÃ significa PAZ.
Eles ainda afirmam que o Islã só autoriza o uso de JIHAD ou GUERRA em casos de defesa própria. Este tipo de discurso pode enganar a pessoa simples e ignorante quanto aos verdadeiros ensinos do Islã mas não tem o menor efeito sobre aqueles que conhecimento dos ensinos do Islã e da idiossincrasia dos muçulmanos.
A raiz da palavra ISLÃ em árabe é “AL-SILIM” que significa SUBMISSÃO enquanto que a palavra PAZ em árabe é “Al-SALAAM”. As duas palavras são totalmente diferentes assim como acanhado e açanhado em português. O fato delas se parecerem não significa NADA.
O profeta do Islã costumava enviar carta para os reis convidando-os a abraçar o Islã, antes de invadir e subjuga-los. Ele sempre terminava as cartas com a frase: “ASLIM, TASLAM” ou seja, “ENTREGUE-SE e ESTARAS SEGURO”. Mohamed na verdade os estava ameaçando de morte: “Converta-se ou morre”. Que tipo de paz é esta que precisa ameaçar alguém de morte para aceitar uma religião “pacifica”?
Alguns teólogos modernos como Ibrahim Sulaiman, coloca a Jihad nestes termos: “Jihad não é algo desumano, apesar da violência e do derramamento de sangue serem NECESSARIOS, o desejo final é a paz a qual esta protegida e reforçada pelo estado de direito”.
Alguns muçulmanos mais educados no islam e menos preocupados com a imagem do Islã, DESMENTEM abertamente esta idéia de que a palavra Islã significa PAZ. Veja aqui a evidencia.
Existem muitas outras MENTIRAS e EXAGEROS usadas pelos muçulmanos para tentar melhorar a imagem do Islã no mundo. Você poderá ler mais informações aqui. Entre elas estão:1.     O Café – foi descoberto na Etiópia e não pelos árabes. 2.     A Câmera Escura – Por volta de 500 AC, os Chineses já haviam notado o efeito da passagem da luz por um buraco pequeno, forma uma imagem invertida no fundo da caixa, mas foi somente em 1021 que um Árabe escreveu um livro sobre o assunto da câmera escura. Porem foi um cientista escocês que inventou a câmera fotográfica em 1850.   3.     O Xadrez – A primeira razão que não pode ter sido um muçulmano é porque o Islã proíbe o jogo de xadrez. Mohamed comparou o jogo de Xadrez a “SUJAR as mãos com carne e sangue de porco”. Foi descoberto recentemente que o jogo de Xadrez já era usado na Europa, 600 anos antes do que se pensava.      Ha muitas outras no artigo acima citado. Vale a pena conferir.
Abraços e obrigado por estarem visitando o meu blog. Que Deus os abençoe e que meus artigos possam ajuda-los a resgatar estes muçulmanos das trevas e leva-los para Jesus. Rafik
Fonte

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: