Ataque ao islam ou Islão a nu – Para tomar consciência do terror islâmico e o atacar

Quanto mais islam, mais barbárie.

Posted by Conselho Superior do Supremo kalifado em Maio 26, 2013

Algumas das barbáries cometidas por muçulmanos contra os pacíficos e indefesos budistas.

São imagens chocantes, não aconselháveis a pessoas sensíveis.

http://jihadonbuddhists.org/

Nota inicial: Os movimentos que contestam a barbárie islâmica podem estar infiltrados por inimigos da Verdade,  para os levarem a fazerem acções que os desacreditem.

r_muslim eat budist

“O ódio aos cristãos deve ser do fundo do coração”, diz erudito muçulmano

Nasim Ben Islam, apóstata do islão, fala sobre os perigos do islamismo para o ocidente

O Êxodo em Massa de Cristãos do Mundo Islâmico

Alguns dos crimes  do Islã no passado em  Espanha e França

Quanto mais criminoso e bárbaro o islam e os muçulmanos se revelam, mais os “moderados”,  “inventam”, para camuflarem e maquilharem esses hediondos e bárbaros  crimes.

A verdade, é que o maometa, quanto mais muçulmano é, mais viciado fica na cagânça, manigância e ganância e, mais se sente à vontade para fazer e justificar seus crimes.

A verdade, também, é que no islam, nem o próprio allah maometano ou maomé podem reaparecer.

Isto se acreditarmos nas várias interpretações das várias  “escolas”  “eruditas” dos  maometas.

Para o islam,  nem maomé retorna,  nem o seu allah tem fala , espírito ou presença no mundo e nas pessoas. Mas até isso é falso, pois o que mais se vê nos islâmicos é o espírito de maomé e do enganador e maligno allah a desalmarem-nos e a envenenarem-nos.

Todo o islam, é baseado no assassínio mutuo de allah e maomé. Depois os maos-metanos ainda têm a pouca vergonha de dizer que o islam é paz.  Se a é , é a paz dos infernos. Só assim podem estar a dizer a verdade.

Os dois, maomé e o seu enganador e maligno allah,  assassinaram-se mutuamente  no mesmo exacto e preciso instante em que maomé foi para o fundo dos infernos.

Mas como no islam, os maus, os piores dos maus,  ressuscitam, estão no activo, e só eles o fazem, é ver os dois e seus ajudantes (génios maus, diabos, demônios e satanazes), a marrarem entre si e com tudo e todos.

Se houver alguém que não concorde com esta e outras verdades, que convoque o abuísta mais erudito para as desmentir.

Em verdade, já tiveram mais do que tempo para desmentir muitas outras verdades aqui publicadas, e não o fizeram, nem mostraram intenções de o fazerem.

Com isso, podemos com toda a propriedade afirmar, que  só  confirmam, comprovam, aceitam e aplaudem as verdades que aqui já foram divulgadas.

Agora até já foram informados de que o Allah/Deus Verdadeiro está Vivo e Inteiro e que já lhes revelou o Super e Supra-Islam.

Isto,  numa linguagem em que eles deveriam entender  e aceitar.

Se Allah é grande, então também devem aceitar que Allah tenha o Super e Supra-Islam.

Mas aquilo que se observa, é que os muçulmanos andam tão controlados e dominados pelo maligno, que quanto mais maometanos são, menos querem saber de Deus,  dA Verdade e dA Vida.

Notas:

-abu era o primeiro nome do tarado depravado e desalmado pelo chifrudo.

-esse abu foi mesmo para o fundo dos caldeirões do rabudo.

Foi ele próprio que nos revelou que o seu allah era o maior enganador.

-Relembrar que no maldito islam, tudo é falso ou está ao serviço de falsidades e estas a justificarem enganos crimes e maldades.

-o islam, supostamente é baseado no corão, só que o corão não faz parte da chamada “profissão de fé” do maometa.

Isto porque maomé pura e simplesmente nunca teve corão algum, nem se preocupou em  ter.

o corão,  só foi depois”compilado”, pelos ditadores seguintes para estes justificarem o seu poder. Em verdade, é que o islam é tão falso que até falsifica suas próprias falsidades.

– o islam supostamente é baseado nos 5 pilares e a Bíblia e Torah nos 10 mandamentos.

Compare-se esses mandamentos com esses pilares e vejam se o islam foi uma boa evolução ou um mau retrocesso, um retrocesso à barbárie.

– um maometa defende o islam, até ser desgraçado pelo próprio islam.

– Para um muçulmano, mais vale ser criminoso 1 segundo, do que gente toda a vida.

-O Allah antes de mauméé, fora do islam, e depois de maumé  é que é o Allah/Deus Verdadeiro, criador e revelador do Super e Supra-Islam.

“Foi em 711 que atravessaram o estreito de Gibraltar, desembarcaram na catolicíssima Península Ibérica, se apoderaram de Portugal e de Espanha onde, não obstante os Pelayo e os Cid Campeador e os vários soberanos empenhados na Reconquista, permaneceram por mais de oito séculos. E quem acredita no mito da ‘convivência pacífica’ que, segundo os colaboracionistas, caracterizava as relações entre conquistados e conquistadores, faria bem se relesse as histórias dos conventos e dos mosteiros incendiados, das igrejas profanadas, das monjas estupradas, das mulheres cristãs ou judias raptadas para serem fechadas nos haréns. Faria bem se refletisse nas crucifixões de Córdova, nos enforcamentos de Granada, nas decapitações de Toledo e de Barcelona, de Sevilha e de Zamora. (As de Sevilha, ordenadas por Mutamid, o rei que ornamentava os jardins do palácio com as cabeças cortadas. As de Zamora, por Almançor, o vizir definido como o-mecenas-dos-filósofos, o maior-líder-que-a-Espanha-Islâmica-jamais-produziu.) Jesus! Bastava invocar o nome de Jesus ou Nossa Senhora para ser imediatamente justiçado. Mais exatamente, crucificado ou decapitado ou enforcado. E, às vezes, enfiado num pau. Quem tocasse os sinos, idem. Se vestisse de verde, a cor do islão, idem. E, à passagem de um muçulmano, os cães-infiéis deviam afastar-se e inclinar-se. Se o muçulmano os agredia ou os insultava, não podiam revoltar-se. Quanto ao pormenor de os cães infiéis não serem obrigados a converter-se ao islão, sabes ao que se devia? Ao fato de os convertidos não terem de pagar impostos. Mas os cães-infiéis, sim.
Em 721, passaram da Espanha à não menos católica França. Guiados por Abd al-Rahman, o governador da Andaluzia, ultrapassaram os Pireneus, tomaram Narbonne. Aí massacraram toda a população masculina, escravizaram todas as mulheres e todas as crianças e, depois, prosseguiram para Carcassone. De Carcassone passaram a Nîmes, onde chacinaram monjas e frades. De Nîmes passaram a Lião e a Dijão, onde arrasaram todas as igrejas.”
(Oriana Fallaci, A Força da Razão)

http://acortenaaldeia.blogspot.com.br/2012/12/a-rica-tradicao-islamica-de-tolerancia.html

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: