Ataque ao islam ou Islão a nu – Para tomar consciência do terror islâmico e o atacar

Archive for the ‘ben laden’ Category

Divulgados vídeos de Osama Bin Laden

Posted by ombl em Maio 7, 2011

Divulgados vídeos do servo da besta, Osama de Bin Laden, em casa

Áudio de Arnaldo Jabor sobre ossama bin laden .mp3

Outros:  Nigeria: Muslims kill 17 Christians, including wife and three children of a pastor

Egypt: Muslims attack, set fire to church, 6 dead
Bandidos muculmanos atacam Igreja e Cristãos no Cairo
La iglesia de El Cairo, envuelta en llamas tras los altercados –  Fonte

Anúncios

Posted in ben laden, bin laden, extremistas, islam, islame, Islamismo, islã, Islão, jihad, Maomé, mohammed, muçulmanos, muhammad, muhammed, osama, ossama bin laden, ossma, ossma bin laden, ousama bin laden, terror, terrorismo, usama, usama ben laden, usama bin laden | Leave a Comment »

Para tomar consciência.

Posted by ombl em Abril 25, 2007

Videos em Inglês e Francês.

Posted in Alcorão, alcuran, alkuran, assassinos, ben laden, bin laden, censura, corão, Crimes, Crimes erros e violência no alcorão e no islão, curan, extremistas, fanatismo, islam, islame, Islamismo, islã, Islão, jihad, kuran, muçulmanos, perseguição, religião | Leave a Comment »

Foto de Bin laden aos 15 anos + A agonia do Islão

Posted by ombl em Março 16, 2007

Leia o resto deste artigo »

Posted in ben laden, bin laden, extremistas, fanatismo, islam, islame, Islamismo, Islão, jihad, osama, ossama bin laden, ossma, ossma bin laden, ousama bin laden, usama ben laden, usama bin laden | 9 Comments »

Mein Kampf islâmico

Posted by ombl em Janeiro 31, 2007

Mein Kampf islâmico
Mein Kampf islâmico

Posted in assassinos, ben laden, bin laden, corão, Crimes, Crimes erros e violência no alcorão e no islão, extremistas, fanatismo, Islamismo, jihad, osama, ossama bin laden, ossma, ossma bin laden, ousama bin laden, terror, usama, usama ben laden, usama bin laden | 7 Comments »

Islão em acção

Posted by ombl em Setembro 18, 2006

O Islão em acção

Thomas Stahler

– A partir de 622: banditismo organizado por Maomé desde Medina (Arábia Saudita). Batalha de Badr onde Maomé e o seu bando assassinaram 70 homens, apoderando-se de um valiosos espólio. Múltiplos assassinatos políticos contra os adversários do profeta, numerosos ataques a judeus da região;

– 627: extermínio pelo exército de Maomé da tribo judaica Bann Qurayza (600 a 900 pessoas);

– Na mesma época: expulsão dos Nadir e o seu subsequente massacre;

– 634: invasão da Síria por Abu Bakr, morte de 4.000 pessoas na defesa das suas terras entre Gaza e a Cesareia. Campanha da Mesopotâmia: 600 mosteiros destruídos, monges assassinados, árabes monofisitas convertidos ou mortos, extermínio da população de Elam e execução de notáveis em Susa;

– 634-638: invasão de Jerusalém e destruição de igrejas seguido de pilhagens, provocando um surto de fome em 639, o qual se traduziu em milhares de mortos;

– Na Arménia, massacre da população de Euchaita;

– Assíria devastada, grandes destruições na região de Daron, no sudoeste do lago Van (Turquia). Novas expedições em 642 com massacres e escravatura;

– 643: conquista de Tripoli por Amr, pilhagem, escravatura de mulheres, assim como de crianças, em proveito do exército árabe;

– 652 a 1276: envio anual de escravos da Núbia para o Cairo;

– Cartago arrasada e os seus habitantes executados, acontecendo o mesmo na Anatólia (Turquia), Mesopotâmia, Síria, Irão e Iraque;

– Fim do século VII: conquista do Egipto por Amr b. al As, massacre de todos os habitantes de Behnesa, após o de Rayum, assim como o de Fayoum, Aboit, Nikin.

700

– 704-705: Os nobres arménios são reunidos nas Igrejas de São Gregório em Naxcawan e Xram no Azaxis e incendiadas;

– 712: conquista de Sind na Índia por Muhammad b. Qasim, massacres no porto de Debal (foz do Indus), durante três dias, entre 6.000 e 16.000 pessoas mortas em Brahminabad;

– 722: destruição de conventos e de igrejas no Egipto;

– 781: saque de Efeso (Turquia), 7.000 gregos deportados;

– Século VIII: mosteiros hindus de Kizil destruídos.

800

– 832: massacre de Coptas no Baixo Egipto após a sua revolta contra um imposto discriminatório;

– 838: tomada de Amorion e escravatura dos vencidos;

– 852-855: perseguições na Arménia;

– 884: convento de Kalilshn em Bagdade pilhado e destruído;

– Século IX: conversões forçadas em Harran;

– Século IX: massacre de cristãos em Sevilha.

900

– 903: 22.000 cristãos tornados escravos em Tessalónica;

– 924: Igreja e convento de Maria em Damas destruídos, assim como milhares de igrejas no Egipto e na Síria;

– No dobrar do ano mil: pilhagens e destruições na Índia por Mahmud de Ghazni, 50.000 homens mortos após a batalha de Sommath;

1000

– 1004: Mahmud invade Multan (Paquistão). Conversões forçadas na região de Ghor;

– 1010: Mahmud invade o reino de Dawud de Multan;

– 1010 a 1013: centenas de judeus assassinados no sul de Espanha;

– 1016: judeus chacinados em Kairouan (Tunísia);

– 1033: massacre de 6.000 judeus em Fez (Marrocos);

– 1064: conquista da Geórgia e da Arménia por Arp Arslan, massacres e escravatura;

– 1066: 4.000 judeus mortos em Granada (Espanha);

– Século XI: massacre de judeus em Fez e em Granada.

1100

– 1126: cristãos espanhóis deportados para Marrocos pelos Almorávidas;

– Por volta de 1150: perseguições em Tunes;

– 1165 e 1178: conversões forçadas de judeus no Iémen;

– 1192: no estado de Bihar (este da Índia), Muhammad Khiji massacra os monges budistas e arrasa uma grande biblioteca, destruição de templos em sarnath perto de Bénarès;

– 1198: conversões forçadas de judeus em Aden;

– Século XII: massacres de judeus na África do norte pelos Almóadas.

1200

– Por volta de 1200: perseguições de budistas;

– 1232: massacre de judeus em Marraquexe;

– 1268: massacre aquando da conquista de Antióquia (Turquia) por Baybars;

– 1291 e 1318: conversões forçadas de judeus em Tabriz (noroeste do Irão);

– Século XII: perto de Damas (Síria), a população de Safad é decapitada pelo sultão Baybars.

1300

– 1333 e 1334: conversões forçadas de judeus em Bagdade (Iraque);

– 1351: Firuz Chah dirige o norte da Índia: 180.000 escravos na sua cidade e destrói os templos hindus;

– Do século XIV ao século XVII: recolha de mais de 1/5 dos filhos das famílias da aristocracia cristã na Grécia, Sérvia, Bulgária, Arménia e Albânia, o que equivale a 8.000 a 12.000 pessoas por ano.

1400

– 1400: Tamerlão devasta Tbilissi (Georgia);

– 1403: nova expedição de Tamerlão à Georgia, massacres, destruição de aldeias e cidades;

– Início do século XV: na Mesopotâmia, massacre de 4000 pessoas em Sivas (Turquia), 10.000 em Tus, 100.000 em Saray (Turquia), 90.000 em Bagdade (Iraque) e 70.000 em Ispahan (Irão).

1600

– 1622: perseguições contra os judeus na Pérsia;

– A meio do século XVII: conversões forçadas de judeus na Pérsia;

– 1679-1680: destruição de templos em Udaipur, Chitor, Jaipur por Aurangzeb (norte da Índia);

– Século XVII: conversões forçadas na Anatólia (Turquia).

1700

– 1770 a 1786: judeus expulsos de Jeddah (Arábia Saudita), refugiando-se no Iémen;

– 1790: massacre de judeus em Tétuan (Marrocos).

1800

– 1828: massacre de judeus em Bagdade;

– 1834: pilhagem em Safed;

– 1839: conversões forçadas e massacre de judeus em Meshed (Irão);

– 1840: massacre de judeus em Damas;

– 1867: massacre de judeus em Barfurush;

– 1894, 1895 e 1896: massacre de 250.000 arménios pelos turcos;

– Século XIX: explosão de violência em Marrocos, na Argélia, Tunísia, Líbia e nos países árabes do Médio Oriente.

1900

– 1904 e 1909: 30.000 arménios chacinados em Adana;

– 1915: fim do genocídio de arménios pelos turcos, mais de um milhão de mortos.

(Nota do tradutor: muitas mais façanhas desta “religião do amor e tolerância” poderiam ser descritas, basta lembrar a invasão da Península Ibérica no ano 711, ou os mais de milhão e meio de europeus feitos escravos pelos muçulmanos entre os séculos XVI e XVIII. Porém, não é necessário revisitar muito mais a história quando nos deparamos com uma Jihad na Europa em pleno século XXI. Os atentados de Madrid (191 mortos), o massacre das crianças de Beslan (331 mortos) ou mais recentemente os ataques suicidas em Londres (52 mortos), são a prova viva de que o Islão, essa religião agressiva e estranha à Europa, quer voltar a impor-se no nosso continente, resultado de uma frustração secular, já que os muçulmanos nunca aceitaram bem a derrota em Covadonga, ou a de Lepanto, ou mesmo a de Viena, só para citar algumas.)


Fonte: http://www.causaidentitaria.org/islaoaccao.html

Posted in Alcorão, alcuran, alkuran, ben laden, bin laden, corão, curan, islam, islame, Islão, jihad, kuran, Maomé, maomet, mohammed, muhammad, religião | Comentários Desativados em Islão em acção

Osama Bin Laden – pedido de perdão ao mundo

Posted by ombl em Agosto 30, 2006

Queira Deus que  Ossama Bin Laden pense ou venha a pensar e a dizer isto:

Ossama Bin Laden

Pedido pessoal de perdão ao mundo.

Venho por este meio pedir sinceras desculpas e perdão por todo o mal que pensei e fiz.

Compreendam que nasci numa cultura de miséria e de escravatura e que para se justificar e existir criou e cria guerras internas e externas contra tudo e contra todos.

Estou agora a começar a tomar consciência de toda essa realidade.

Peço a todos que me ajudem nesta muito grande, nobre e árdua tarefa.

Deus é grande.

Deus criou Todo o universo e toda a vida que nele existe.

Nunca devemos destruir o que Deus criou !”

——————————————————————————

Nota:

Esta declaração é um sonho.

Mas os sonhos comandam a vida.

E os bons sonhos fazem o mundo melhor.

Osama Bin Laden foi o que foi e fez o que fez, porque ninguém lhe deu outras perspectivas do passado, do presente e do futuro. Se ele tiver outras informações pensará e agirá de outro modo.

——————————————————————————-

Site Meter

Counter Stats
quit smoking
quit smoking Counter


Posted in ben laden, bin laden, desculpas, jihad, osama, ossama bin laden, ossma, ossma bin laden, paz, perdão, religião, usama, usama ben laden, usama bin laden | 7 Comments »